Combater o avanço fascista e a conciliação de classes!

No domingo (08/01), fascistas e demais variações da extrema direita – contando com vasto setor de seguidores de Bolsonaro – promoveram atos de destruição generalizados em Brasília, com ataques às sedes do STF, do Palácio do Planalto e do Congresso Nacional, destruindo obras de arte e mobiliário desses prédios. Também há indícios de ações de sabotagem e planejamento de ocupação de refinarias. As ações contaram com a proteção de parte do aparato de segurança do Estado e foram estimuladas por Bolsonaro, lideranças da extrema direita e dos religiosos neopentecostais.

Desde o fim das eleições burguesas, em 2022, assistimos a uma onda de movimentações golpistas no país, com trancamento de rodovias, atos e acampamentos em frente aos quartéis — financiados e com organização logística e política de militares, empresários do agronegócio e de diversos setores da burguesia. Tais intenções golpistas são fruto de uma aguda crise política, econômica e social em vigência internacionalmente.

Esmagar a extrema direita e combater o liberalismo com luta, ação direta e independência de classe!

O Brasil conheceu no último domingo, 30 de outubro, o novo presidente da República, o qual iniciará seu mandato a partir de janeiro de 2023. Com uma vitória apertada da frente ampla representada pela chapa Lula-Alckmin, o resultado acirrou os ânimos dos apoiadores de cada um dos lados.

Inaugura-se uma nova fase e, por isso, é importante revisitar o que nos levou até aqui para entendermos nossas tarefas como anarquistas neste próximo período.

[CAB] 86 anos da Batalha da Sé

Há exatos 86 anos, no dia 7 de outubro de 1934, a classe operária paulistana enfrentou o fascismo de punho fechado e de cabeça erguida. No episódio que ficou conhecido como a “Batalha da Sé” ou a “Revoada dos galinhas-verdes”, os trabalhadores organizados, encabeçados principalmente pela Federação Operária de São Paulo (FOSP), botaram para correr debaixo de tiros e de muita porrada os integralistas liderados por Plínio Salgado.