[RP-RS] Crônica da Plenária Intersetorial: sindicalismo de base e mobilização dos de baixo

Posted on 21/08/15 por

0


Escrito pela Tendência Sindical Resistência Popular – Rio Grande do Sul:

Crônica da Plenária Intersetorial: sindicalismo de base e mobilização dos de baixo

Realizamos no último domingo (16/08) a “plenária intersetorial: sindicalismo de base e mobilização dos de baixo” com a participação de mais de três dezenas de lutadores sociais de diversas categorias para intercambiar experiências, análises da atual conjuntura e agendas de luta. Contribuíram nos debates trabalhadores em educação da rede estadual e de diferentes municípios, estudantes, trabalhadores bancário e dos correios, servidores públicos do estado e militantes comunitários.

Com a contribuição de alguns companheiros foram apresentados alguns elementos da conjuntura nacional nas suas dimensões econômica, política e ideológico-cultural, assim como diferentes cenários de possíveis desdobramentos políticos para o próximo período.

Em linhas gerais, se fez síntese de um modelo de governo e de desenvolvimento dominante no Brasil nas últimas décadas que está em vias de seu total esgotamento, e das atuais medidas de ajuste fiscal e aumento do custo de vida, flexibilização e retirada de direitos dos trabalhadores, desmonte e privatização dos serviços e bens públicos, intensificação da criminalização do protesto e da pobreza e da crise do governo petista e do sistema político.

Dentro desse contexto, discutimos as experiências de greves, paralisações, piquetes, marchas de rua e outras medidas de luta em que participamos e tomamos nota dos processos de luta em curso e os que estão por ser deflagrados, como a greve dos trabalhadores em educação do Estado e o conjunto dos servidores públicos estaduais.

Foram várias intervenções de como podemos potencializar nossas forças para atuar de maneira mais coordenada e decisiva num momento de acirramento das lutas e de intensos ataques dos governos e patrões a nível federal e estadual contra os direitos e as já difíceis condições de vida dos de baixo. Nesse sentido, procuramos marcar algumas orientações:

1. Nenhuma luta sem solidariedade! Pela propaganda ou pela participação ombro a ombro com as distintas categorias em luta, quebrar o cerco midiático que isola e ofusca os verdadeiros objetivos das mobilizações;
2. Que nossa ação e postura nos locais onde militamos seja a de favorecer a participação e organização de nossos colegas, em primeiro lugar, na base das categorias, escolas e comunidades em que se encontram;
3. Formar e ajudar a construir grupos de base e agrupações de tendência combativa que não sejam correias de transmissão ou extensões de partidos políticos, sejam eles quais forem, e que dêem um lugar de luta e organização a partir de uma perspectiva combativa que vá além das questões mais imediatas de uma determinada categoria;
4. Acionar táticas de luta que desloquem as burocracias dos movimentos colocando o conjunto da classe como protagonista e diretamente em movimento, dispensando assim os intermediários profissionais e fazendo da ação a base do nosso discurso;
5. Necessidade de mais momentos intersetoriais para potencializar ações unitárias desde a base das categorias, setores e regiões em que lutamos;
6. No contexto da luta dos trabalhadores em educação do estado, formar junto os comando de greve regionais do cpers quando existirem e militar para que eles existam quando for preciso, na perspectiva de reunir trabalhadores, estudantes e comunidade na luta em defesa de condições dignas de trabalho e de uma educação pública e de qualidade.

São orientações que precisam ganhar carne na ação cotidiana de cada um de nós e trata-se de um debate que não acaba nessa plenária. São muitas as/os que lutam e são muitas as que ainda lutarão. Somos um grão de areia nessa grandiosa luta dos de baixo, das trabalhadoras e trabalhadores e do conjunto das classes oprimidas, e nossa organização e luta forjará um povo forte que se erguerá como uma grande muralha frente aos mandos e desmandos dos de cima.

Seguimos!
Porto Alegre, 16 de agosto de 2015

Para mais informações, acesse: http://resistenciapopular.blogspot.com.br/2012/10/tendencia-sindical-resistencia-popular.html

Posted in: frente sindical, Lutas, RP