Inadequada é a LGBTQIAP+fobia! Abaixo o PL 504!

Um projeto de lei em discussão na Assembleia Legislativa de São Paulo pretende aprofundar a LGBTQIAP+fobia, estigmatizando a diversidade sexual, e ameaçando os direitos já conquistados pelas lutas populares. Trata-se do PL 504/20, que de forma vaga, proíbe publicidade que contenha alusão à diversidade sexual relacionada às crianças no estado de São Paulo.

[CAB] Reforma Administrativa e a dominação privada sobre os serviços públicos

A Reforma Administrativa (PEC 32/2020), proposta pelo governo Bolsonaro, ao contrário do que afirma a retórica privatista, pretende reforçar a burocracia estatal aprofundando sua instrumentalização pelos tecnocratas, políticos e capitalistas, em detrimento do controle social dos serviços públicos. Nós da CAB afirmamos que é preciso cerrar punhos contra essa proposta, que é um passo adiante na precarização dos serviços e das condições de trabalho, e alguns passos para trás em relação à autogestão.

[CAB] Militares assassinos, ontem e hoje! Não esquecer, jamais perdoar!

Completam-se 57 anos do golpe militar de 1964, que colocou o país em uma longa noite de 21 anos, com reflexos nefastos em todos os setores da sociedade. Mas a transição democrática negociada e pactuada pelos próprios militares não os tirou da cena política, nem das estruturas do Estado. O reflexo disso fica evidente no governo Bolsonaro, onde as Forças Armadas ganharam grande espaço nos ministérios, com militares da ativa. A maior tragédia aconteceu na Saúde, sob o general Pazuello, que contribuiu para a morte de mais de 310 mil pessoas até aqui, levando em conta apenas os números oficiais, um verdadeiro genocídio de nosso povo.

[CAB] 300 mil mortos/as! Por uma revolta dos e das de baixo pelo fim do governo!

O Brasil alcançou o trágico número de 300 mil vidas perdidas, no pior momento da pandemia da covid-19 em um ano. Desde o início, Bolsonaro fez o máximo possível para sabotar o controle da doença e a vacinação dos brasileiros, incentivando aglomerações, criticando o uso de máscaras e desrespeitando o luto daqueles e daquelas que se foram, com o apoio de todo o seu governo, dos militares aos neoliberais, e a conivência dos outros poderes.

Greve na educação paulista!

Em assembleia nessa sexta-feira, dia 05, as professoras e professoras do estado de SP declararam GREVE a partir da segunda-feira, dia 08. A categoria se opõe ao retorno das aulas em plena pandemia, entendendo como um risco de aumento na proliferação de casos de Covid-19, colocando a vida de professores/as, funcionários/as, alunos/as e suas famílias.